Blog do Cobredireto

Internet confirma seu poder de propagação e crítica nas Eleições 2010




Num dia de semana, entre 75 mil a 80 mil seguidores de José Serra aguardam até altas horas da madrugada a manifestação do candidato do tucano à Presidência no Twitter. Dois minutos depois que ele envia sua última mensagem, o número de seguidores online cai para 15 mil.

A informação é do coordenador de mídias digitais da campanha do PSDB, Sergio Caruzo, e dá uma ideia da importância das redes sociais na disputa política deste ano. “O Serra tem como marca registrada as manifestações na madrugada”, diz.

A utilização de redes sociais na internet é uma marca registrada, na verdade, dessa campanha, que já conta com a presença dos principais candidatos à Presidência no Twitter. Dilma Rousseff (PT) e Marina Silva (PV) também estão no microblog em busca de apoio e espalhando suas mensagens.

No Brasil, a o uso da internet para informação sobre política é de 7%, atrás de jornais e TV, de acordo com pesquisa do Datafolha, realizada em julho. Mas grande parte desse eleitorado é composta por formadores de opinião e militantes, o que multiplica o efeito da informação que circula na web.

Além das campanhas, a internet também oferece aos cidadãos mecanismos de controle e cidadania. A WebCitizen criou o Eu Lembro, site feito para que o eleitor brasileiro registre seus votos – e acompanhe o trabalho dos políticos no futuro. Está no ar, desde 2009, a BOVAP (Bolsa de Valores Políticos), onde internautas compram e vendem ações dos políticos brasileiros com moeda fictícia, contribuindo para a formação de um índice colaborativo da política brasileira. 

Via Brasil Econômico