Blog do Cobredireto

Mídia Social como ferramenta de marketing




As novas plataformas de relacionamento e troca de informações estão abalando a estrutura dos negócios nas empresas, indo muito além das ações de promoção e propaganda. “O poder das pessoas reunidas em comunidades, trocando informações sobre suas vontades e expectativas, ainda vai modificar muitas coisas que conhecemos sobre as relações comerciais de hoje”, defende o professor de marketing e de arena digital da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), Rodrigo Tafner. Ele é um defensor do s-commerce (social commerce). O termo pode ser traduzido por uma extensão do que se convencionou chamar de e-commerce, só que agora turbinado com as redes sociais.
A etapa futura do s-commerce depende das empresas ouvirem o que os seus consumidores desejam. Elas precisam saber lidar com o manancial de informações da comunidade e integrar isso em seus processos. Detectar qual opinião ou comportamento tem chance de se tornar uma nova estratégia de negócios é outro braço do social business. “Já temos condições de evoluir no CRM social”, defende o gerente de estratégia de clientes e mercado da Deloitte, Fabio Cipriani.
No CRM social, a gestão do cliente se transforma na gestão da relação cliente-empresa; tudo é pensado como uma estratégia horizontal. Qualquer processo que envolva o cliente e tenha este objetivo final pode ser apoiado por uma rede social. “Quem trabalha com dados transacionais passará a lidar com dados conversacionais”, explica o consultor, com o apoio de um neologismo para lá de apropriado.
Como usar
Planejar é o primeiro passo. Orkut, Facebook, Twitter, blog… as ferramentas são muitas, demandam tempo e dedicação. Por isso, a primeira recomendação é uma auto-análise de caráter. Sua empresa é aberta o suficiente para ouvir críticas? Está realmente disposta a ouvir seu consumidor?
De nada adianta ter canais em todos os cantos e deixar seus clientes falando sozinhos. Comece pelo que sentir que é mais adequado ao seu perfil. Abaixo prós e contras de cada canal:
Blog: permite aumentar visitas, fazer promoções, expandir seus horizontes junto à busca orgânica. É preciso definir bem seu posicionamento, responder com clareza aos questionamentos dos leitores, ter um texto adequado e conhecer muito bem as regras de indexação dos mecanismos de busca. Se o blog só fala da empresa, de seus produtos e não agrega outras informações, ele deixa de ser interessante com rapidez. Lembre: a idéia é cativar e, através disso, conquistar a preferência do leitor.
Twitter: o passarinho azul é a coqueluche das redes sociais hoje. Usá-lo a seu favor exige conhecimento da ferramenta e de sua linguagem específica. O canal pode servir para disseminar as notícias do blog, responder rapidamente aos clientes, ouvir o que dizem da sua empresa.
Facebook/Orkut: Criar suas páginas nas redes sociais permite integrar todas as ações online. Mas não adianta nada convocar fãs e criar uma comunidade sem alimentar este ecossistema com informações, promoções, ofertas.

Há muito mais a ser dito sobre o uso de redes sociais no marketing de sua empresa. Lembre: a estratégia deve ser muito bem planejada e as ações acompanhadas cuidadosamente. E o seu objetivo principal, nestes canais, afasta-se um tanto do e-commerce, já que neste ambiente a idéia é conversar. Sua empresa tem tempo e recursos para isso? Pense nisso.