Blog do Cobredireto

Os 10 passos para a criação de uma loja virtual (Parte 2)




Em nosso artigo anterior, falamos sobre a formalização da sua loja virtual, a importância do planejamento e, principalmente, a necessidade de encontrar parceiros estratégicos que te apoiem no início do seu projeto.

Nesta segunda e última parte, abordaremos assuntos que integrarão a fase inicial de lançamento da sua loja virtual e são tão importantes quanto o processo de formalização dos seus negócios. Boa leitura!

6. A primeira venda

A primeira venda da sua loja virtual é um dos, senão o mais, dificultoso passo para os iniciantes. Mas não há o que temer, é muito mais fácil fazer a primeira venda do seu e-commerce do que se pensa. Uma questão importante, que inclusive abordamos no artigo “3 dicas para não perder vendas na web”, publicado na semana passada aqui mesmo no Blog do CobreDireto, é que você pode fazer a primeira venda da sua loja virtual para amigos, colegas e até mesmo familiares (parentes de segundo grau, por exemplo).

O ponto-chave que vai definir a sua primeira venda é a divulgação. E não falamos apenas de campanhas de publicidade em sites de pesquisas ou comparadores de preços, como o Shopping UOL, mas sim a divulgação boca-a-boca. Pequenas marcas precisam ser propagadas em um trabalho de formiga, principalmente quando o capital para investimento em publicidade não é muito generoso. Convide familiares, amigos e até mesmo colegas de trabalho de seus familiares próximos a visitarem a sua loja virtual; fale sobre o seu e-commerce para amigos em reuniões descontraídas; mostre a colegas os diferenciais dos seus produtos e dê condições favoráveis a eles no quesito logístico. Por se tratar de pessoas de seu cotidiano, a entrega poderá ser feita sem a intervenção de empresas de transportes, o que barateia a compra como um todo.

É importante entrar no mercado sabendo que imprevistos acontecem e que os resultados podem demorar mais tempo do que fora planejado.

7. As mídias sociais podem te ajudar!

Muitos produtos, principalmente aqueles exclusivos – geralmente artesanais – são muito bem-vindos por comunidades em mídias e redes sociais. No Twitter, por exemplo, é possível manter uma comunicação direta com possíveis consumidores de seus produtos. O primeiro passo é criar uma conta no site www.twitter.com com o nome de sua empresa. O seu perfil virtual terá um endereço parecido com: www.twitter.com/suaempresa. Com ele, será possível adicionar outras pessoas à sua rede – o que é chamado de seguir – e divulgar os seus produtos e promoções.

Não pense nas redes sociais como megafones de divulgação de promoções, mas utilize-as para uma interação com o seu público-alvo como um todo. É possível, através desta interação, descobrir novas amizades e clientes fiéis, que lhe ajudarão inclusive com dicas e sugestões para a sua loja virtual.

Há no mercado diversas ferramentas gratuitas semelhantes ao TweetDeck, que permitem que você receba os recados – no Twitter, chamados de atualizações – através do seu computador ou smartphone, sem precisar ficar acessando o navegador a todo instante.

Há ainda, além do Twitter, o tão famoso Orkut. Crie uma comunidade da sua marca, convide amigos e familiares para participar e faça parte também de outras comunidades que tenham relação com os seus produtos. Lembre-se, para quem está divulgando a sua loja virtual, participar não é apenas acompanhar o que acontece, mas também efetivamente contribuir para a comunidade com conteúdo de qualidade. Converse com os participantes, troque ideias e acabe, num momento ou outro, falando de sua empresa e seus produtos.

8. O atendimento é importante!

Como já dissemos, em uma loja virtual não é possível olhar no olho do cliente e passar confiança sobre suas informações, por isso é importante que a sua loja esteja devidamente apresentável para o mercado. Para dúvidas corriqueiras é possível contar com sistemas de atendimento online gratuitos, como LiveZilla, uma ferramenta que permite uma interação em tempo real entre você – ou seus atendentes – e o seu consumidor. Com ele, é possível tirar dúvidas que a descrição da página ou a foto não foram suficientes para tal.

Aproveite-se do fato de ser um micro e-commerce para dar um atendimento de qualidade para os seus clientes. Em algumas situações os seus preços não serão menores dos que nos concorrentes de maior porte, mas muitos dos clientes atualmente preferem pagar um pouco a mais para ter um atendimento diferenciado, desde que, é claro, valha à pena.

Responda e-mails o mais rápido possível, e, quando couber, com a solução do impasse ou da dúvida de seu cliente. Atente-se aos horários de atendimento. Não é necessário ter um atendimento 24 horas logo nos primeiros meses de operação, mas sim assegurar que você realmente poderá atender plenamente aos clientes naquele horário de atendimento por você divulgado em sua loja virtual.

9. A importância dos meios de pagamento

Hoje é muito fácil receber pagamentos por vendas efetuadas através da internet, afinal existem ferramentas como o CobreDireto que te auxiliam nisto. Com ele você não precisa se preocupar com a interligação tecnológica entre a sua loja virtual e cada um dos bancos, afinal em uma única ferramenta os principais meios de pagamento são aceitos, como cartões de crédito, débito automático ou até mesmo a emissão automática de boletos bancários. O seu cliente, de acordo com as suas configurações, poderá optar por pagamentos à vista ou parcelados.

Atualmente, com a consolidação dos meios de pagamento, as operadoras de cartões de crédito também já estão com esta configuração ativa para o meio virtual e, por isso, o processo de autorização de uso nas administradoras está bem menos burocrático. Para tanto, você poderá contar com o CobreDireto, que já possui o certificado digital requerido pelas instituições e facilitará todo o processo para a sua aprovação como emissor(a) de pagamentos.

Para que você inclua em seu orçamento, o CobreDireto não cobra mensalidades, apenas emite uma pequena taxa para cada cobrança gerada pela sua loja virtual. As taxas iniciam-se em R$ 0,95 e, dependendo a quantidade de créditos que você adquirir, pode chegar a até R$ 0,65 por transação! Para conhecer melhor o CobreDireto e tirar todas as suas dúvidas, acesse esta página.

O planejamento dos valores a receber requer uma atenção específica, afinal tudo dependerá da negociação que você fará com o seu banco ou operadora financeira que lhe autorizará o uso das bandeiras de consumidores em sua loja. Normalmente o reembolso é de 30 dias corridos, podendo ser antecipado com o pagamento de uma taxa um pouco maior. Mas lembre-se, o CobreDireto não interfere nesta negociação que deverá ser feita diretamente por você.

10. A segurança das informações

A segurança nos pagamentos estará totalmente abrangida se o CobreDireto for eleito como a sua solução para as cobranças online. Mas, além dos pagamentos, é necessário garantir também o sigilo dos dados cadastrais e de localização do seu cliente. Para isso, será necessário que você contrate um Certificado Digital SSL para ser instalado na sua plataforma.

Se você optar pela solução do UOLHOST de Lojas Virtuais, você terá direito a um certificado compartilhado, sem que as informações sejam acessíveis por ninguém além de você e seu cliente. Este certificado digital é o responsável por manter um cadeado nas páginas do seu site, transformar o endereço de “http:” para “https:”, além de assegurar que todos os dados de seus clientes serão transformados em códigos que apenas o próprio servidor poderá interpretá-los.

É possível também adquirir certificados digitais de diversas empresas, nacionais e internacionais, com preços que variam de US$ 99,00 a R$ 2.500,00 em média.

Compartilhe suas experiências conosco

Chegamos ao final das 10 dicas iniciais do CobreDireto para a sua Loja Virtual. Esperamos que as nossas recomendações tenham sido úteis e torcemos para que elas deem certo no seu dia-a-dia! Deixe um comentário pra gente relatando as suas experiências, ideias, sugestões e dúvidas, teremos um grande prazer em responder!

Tags:, , , , , ,