Blog do Cobredireto

Pizzaria Veritas: inovação e qualidade em primeiro lugar




João Henrique Bergamasco, paulistano, adotou Florianópolis em 1988. Ele foi à ilha para passar o Carnaval e nunca mais voltou. Profissional de Tecnologia da Informação, instalou-se em Jurerê Internacional com um provedor de internet e dez anos depois, cansado de “trabalhar para os outros”, criou a Pizzaria Veritas.

Quando apresentou o plano de negócio para sua sócia, a engenheira de alimentos Cíntia, a idéia era aceitar pedidos pela internet. Para isso, criou sistemas que monitoram o processo inteiro – da chegada do pedido à entrega da pizza, além de controle de qualidade. Tudo integrado por um sistema ERP desenvolvido por ele mesmo.

Com 16 câmeras instaladas na central de produção, uma loja física – a segunda deve sair do plano das ideias até o fim deste ano -, João não vende nem empresta seu sistema para ninguém. Mas não nega que, no futuro, pretende vender o sistema da Veritas para outras praças, com um sistema de cobrança parecido com o do CobreDireto. “O usuário compra créditos e eu ganho por pedido”, diz.

Hoje a pizzaria entrega em média 120 pizzas por noite, emprega 15 funcionários que começam a trabalhar por volta das 14 horas para fazer o pré-preparo de todos os ingredientes. Para se ter uma idéia, todos os dias são cerca de 50 quilos de queijo para ralar. Haja braço!

Abaixo, a entrevista com João Henrique.

A Pizzaria atende online desde 2008?
Desde 2008 aceitam pedido online. Entregamos ao cliente em 20 minutos.

Como vocês conseguem fazer isso?
Nosso sistema recebe o pedido e manda em segundos para a produção. Tudo é mensurado, da montagem ao tempo de entrega. Eu sempre digo que aqui não temos motoboy, temos entregadores. O cliente acompanha pelo site cada etapa e pode ver, inclusive, a fotografia do entregador indo levar a pizza. A diferença aqui, é que cada pedido que entra é o pedido. Se acontece algum problema, na mesma hora eu entro no circuito.

Para você ter uma idéia, temos 50 recados positivos na nossa página. Eu libero todos os recados do jeito que vem. Até hoje, só tivemos uma crítica, onde o cliente reclamou da pizza.

Qual é o processo?
O pedido é aprovado em menos de 1 minuto o pedido. Temos apenas 2% de pedidos negados. Trabalhamos com diversos meios de pagamento – cartão de crédito, dinheiro, cheque.

O sucesso da Veritas é resultado de três fatores importantes: sistema (eu sou especialista), produção (sócia engenheira de alimentos) e logística da entrega e monitoramento. Tínhamos pouco conhecimento só neste último item e estamos conseguindo cumprir nossa meta de entregar pizzas quentinhas e dentro do tempo.

De todas as pizzas que vendem, quantos pedidos pela internet?
Aqui, 70% dos pedidos entram pela internet… 120 pizzas é pouco para uma cidade como São Paulo, em que a média e de 240 pizzas/noite. Entretanto, em Florianópolis, com 80 mil habitantes, é um ótimo número.

Por que escolheu o serviço do CobreDireto?
Como profissional de sistemas eu sabia que a questão da segurança ia sair muito caro – e não tinha muito dinheiro no início. Comecei usando o PayPal, mas no terceiro dia de uso, tive problemas. Na terceira noite o sistema parou de funcionar e quando fui ver, eles haviam bloqueado todas as transações e indicado o meu negócio como de alto risco. Acho que é puro preconceito contra sul americano.

Eu não tive dúvidas: mandei e-mails para todos os clientes que haviam comprado, dizendo que a pizza seria de graça e pedindo para cancelarem a compra lá – porque eles não queriam nem mesmo liberar o dinheiro que já estava na minha conta. Além de resolver o problema, conquistei os clientes.

Ao pesquisar sistemas de cobrança, encontrei o CobreDireto e gostei da proposta – que uso, inclusive, para outros clientes meus. Aqui na Veritas, foi uma salvação – entre fazer o cadastro, testes e colocar no ar, levei duas semanas. Um tempo ótimo em termos de integração.