Blog do Cobredireto

Plataformas para E-commerce: Review sobre o osCommerce




Falamos na semana passada sobre o poder do Magento e a ciumeira foi completa! Não, definitivamente nós não escolhemos o Magento para iniciar a nossa série por ser o melhor ou o mais importante, mas sim por possuir uma metodologia de funcionamento diferente dos demais e ser um destaque do mercado – além de estar em alta evidência.

Mas, para acabar com essa sensação de preferência – que não foi proposital, falaremos hoje sobre o osCommerce, conhecido dos mais veteranos do desenvolvimento web e preferido por muitos por sua facilidade de customização e poder de processamento. Vamos lá?

1 – O mais está no menos

O paradoxo é intrigante, mas, bem como nos produtos da Apple, o osCommerce também tem como foco esta metodologia. Ao baixar, instalar e decifrar o osCommerce, você percebe que se trata de uma solução desenvolvida com PHP/MySQL sem complicações. São variáveis de simples entendimento e de facílima customização por parte dos desenvolvedores web.

Ao contrário de outras plataformas que já são completas quando baixadas – e isto faz com que fiquem pesadas para necessidades menores e específicas – o osCommerce, apesar de completo para muitas finalidades, acaba sendo facilmente hospedado em qualquer plano de hospedagem, mesmo aqueles com menos recursos. Por isso, e também pela facilidade de desenvolvimento da plataforma, o osCommerce é considerado como uma das soluções open source de e-commerces com menor investimento para início de operação.

2 – A flexibilidade

Muitas pessoas relatam dificuldades em instalar o Magento em seus servidores e principalmente em instâncias locais de webservers, principalmente pela necessidade das bibliotecas do Zend e aplicação do XML. No caso do osCommerce, dificilmente este tipo de dificuldade aparece, uma vez que estamos falando de uma ferramenta totalmente flexível, que pode ser instalada sem problemas no Windows, Linux (na maioria das distros), Mac OS X, Solaris e BSD.

Um ponto permissivo no quesito flexibilidade, é que os plugins do osCommerce comumente são desenvolvidos com base em necessidades locais e específicas e, ao contrário do Magento, alguns destes plugins não seguem um padrão de desenvolvimento, o que pode ser ruim para usuários com um nível de conhecimento em programação menor.

A facilidade é que, como dissemos, as variáveis de todo o sistema são de fácil entendimento, o que permite um rápido estudo de toda a plataforma e uma facilidade em possíveis correções.

Esta flexibilidade defendida por nós também pode ser destacada pela ausência da necessidade de se possuir algum CMS para a instalação do osCommerce, o que acontece no caso do WP eCommerce com o WordPress, o VirtueMart com o Joomla! – ou Mambo – e o Ubercart para o Drupal.

3 – Experiência de sobra

Um dos grandes diferenciais do osCommerce em relação ao Magento é o seu tempo de existência. O Magento foi colocado em operação no primeiro semestre de 2008, enquanto o OSC (apelido carinhoso do osCommerce) está em operação e sofre constante desenvolvimento da comunidade desde o início do ano 2000.

Trata-se de uma das plataformas com mais tempo de mercado, se excluíssemos é claro o milenar Vend, que se tornou anos mais tarde o Interchange com sua plataforma baseada em Perl.

A experiência do OSC não está contida apenas nos seus anos de existência, mas também nas contribuições da comunidade. É, sem dúvida alguma, uma das plataformas para e-commerce mais respeitadas dentre os desenvolvedores web.

Onde encontrar?

Você pode fazer o download da plataforma e encontrar links para a comunidade na página: http://www.oscommerce.com.

Tags:, , , , , ,