Blog do Cobredireto

Presença em redes sociais é regra para e-commerces emergentes




Uma recente publicação de Mark Zuckerberg (do Facebook) veiculada pelo portal INFO Online trouxe à tona uma discussão, que abordaremos por outro ponto de vista. Segundo o criador da maior rede social do mundo, é possível criar filtros que façam com que o Facebook seja permitido para uso de crianças com menos de 13 anos – o que contrariaria a legislação norte americana atual.

Diante desta declaração, o CobreDireto traz a você uma análise sobre a importância de a sua empresa estar presente nas redes sociais, mesmo que seja apenas para acumular seguidores e admiradores da sua marca.

O paradoxo do século

No século XXI onde a tecnologia está cada vez mais envolvida com o dia-a-dia de todos, mais e mais se faz necessário o apelo pessoal, ao invés do investimento em massas. O que antes era considerado como obrigatório, hoje dá espaço para a liberdade, principalmente a liberdade de escolha e opção dos consumidores. A “pluraridade” de ofertas e a capacidade dos consumidores de reivindicarem os seus direitos requerem que as empresas estejam preparadas e possam moldar as suas ofertas para este novo público.

Quando falamos em redes sociais, o portal até antes intransponível para as grandes marcas começa a se abrir: A possibilidade de transformar a marca em algo tangível e pessoal. No momento em que a tecnologia nos proporciona atendimentos automáticos, robôs treinados para dar prontas respostas aos clientes com algoritmos cada vez mais avançados, o cliente tem por necessidade ser atendido por alguém e perceber que seus feedbacks estão sendo ouvidos por alguém que possa se sensibilizar com a sua situação.

A exposição social

Especialistas em empreendedorismo costumam dizer que a empresa que quer se esconder de seus consumidores tem pouca chance – ou quase nenhuma – de prosperar. A mesma afirmativa pode ser aplicada às redes sociais. Problemas ocorrem em qualquer tipo de negócio, seja ele qual for. O que destacará o seu e-commerce ou sua empresa de serviços digitais ante aos seus concorrentes é a capacidade de resolução destes problemas e o valor ao cliente que é dado em todo esse processo.

Por isso, a exposição em redes sociais, por mais que permita feedbacks negativos públicos de sua marca, é favorável no ponto de vista do cliente satisfeito. É sabido que a possibilidade de propagação de uma opinião negativa é maior do que a positiva, mas devemos nos recordar que qualquer tipo de feedback direcionado à sua empresa, mesmo os mais negativos, são um sinal de que o cliente que o deu está disposto que as coisas melhorem, caso contrário o mesmo simplesmente faria um backup de seus serviços ou acessaria o endereço de outra loja virtual.

Quando damos um feedback, principalmente os feedbacks públicos, são formas de demonstrar a nossa insatisfação, mas devem servir para as empresas presentes nas redes sociais como uma maneira de encontrar problemas em seus processos e corrigi-los, a fim de que novos clientes não passem pela mesma situação.

Não pense na rede social como um canal de atendimento

As redes sociais podem ser um canal de captação de feedbacks para a sua empresa e interação ininterrupta com o dia-a-dia de seus consumidores. É possível saber o que estão pensando, quais são os seus principais hábitos e tantas outras situações favoráveis ao seu negócio, seja ele qual for.

Há, atualmente, diversos formatos com canais de atendimento distintos, como chat online, telefone, e-mail, etc., que poderão substituir a rede social. Os seus seguidores, por exemplo, não precisam saber que determinado produto específico de um cliente está com problema. O que a maioria dos consumidores que seguem a sua marca desejam, independente do nicho de atuação, é receber novidades, descontos e principalmente conteúdo de qualidade que lhes possa ser útil.

E o que as crianças têm a ver com a minha empresa nas redes sociais?

Mark Zuckerberg atentou-se à possibilidade de aprendizado que as crianças poderiam ter em sua rede social, a capacidade de interatividade das mesmas e ao avanço no conhecimento tecnológico dos pupilos do mundo. Enquanto isso a sua empresa ainda decide se, estar em uma rede social pode ser favorável à sua marca e aos seus negócios. Muitas crianças acabarão por ter um perfil no Facebook antes da sua empresa.

Não estamos incentivando a entrada nas redes sociais a qualquer custo, esta é uma decisão que deve ser tomada com cuidado, análise e planejamento, mas é inegável o poder que as redes sociais têm demonstrado para o mundo – e também para os seus negócios.

 

Tags:, , , , , ,